07/04/21

Entendendo a Insolvência a Financeira e os impactos para seu negócio

Insolvência financeira é uma situação em que a empresa não tem capital de giro suficiente para financiar a operação de seu negócio.

A operação da empresa é compreendida pelo período entre a compra de insumos, matéria prima ou mercadoria para revenda, até o recebimento pela venda de seus produtos/serviços.

A insolvência acontece, basicamente, por dois motivos:

  1. A operação da empresa é muito robusta (estoques altos e prazos grandes para receber de seus clientes), ocasionando um alto ciclo financeiro.
  2. A operação do negócio não é capaz de gerar capital de giro suficiente para se auto sustentar ou esse capital de giro está sendo utilizado para outras finalidades (investimentos, imobilização, retirada excessiva dos sócios).

Portanto, ela se utiliza de passivos financeiros onerosos (empréstimos de curto prazo, como desconto de duplicatas, cheque especial e demais empréstimos junto às instituições financeiras) para conseguir financiar sua operação. Com isso, a liquidez da empresa tende a diminuir, de tal forma que ela deixa de ter capacidade de quitar suas obrigações de curto prazo.

Uma empresa com saldo de caixa insuficiente para honrar com suas obrigações se torna insolvente, uma vez que a operação de seu negócio não gera caixa, e sim consome.

Principais causas da insolvência:

·         Financiar clientes e fornecedores por tempo inadequado: isso acontece quando você não tem um gerenciamento adequado dos prazos que precisa para receber do cliente, pagar aos fornecedores e de quanto tempo seu estoque demora a ser vendido.

·         Investimentos acima da capacidade do caixa: É necessário compreender bem a necessidade da compra de um novo bem ou outro tipo de aplicação de recursos, se não tiverem  a utilidade e retorno esperado, podem ser gastos desnecessários. Além disso, é necessário avaliar a capacidade do caixa a longo prazo, quando o investimento for maior que 12 meses.

·         Mistura de contas da empresa com contas pessoais: Muitas empresas perdem o controle de lucratividade real, quando misturam as contas patrimoniais com as contas de pessoa física, o que impede a empresa de identificar e mensurar os reais gargalos que possui em sua gestão.

·         Baixo controle de estoque  e compras sem controles rígidos: Sem o controle efetivo do estoque, a empresa pode comprar excessivamente além de sofrer o risco de irregularidades e fraudes. Também é necessário analisar as condições de pagamento das compras efetuadas e quais os fornecedores com condições mais favoráveis.

·         Retiradas de sócios sem prévio estudo: Isso ocorre quando as retiradas de lucro são feitas de forma descontrolada, sem verificar a situação do caixa e do patrimônio da empresa.

·          Formação inadequada do preço de venda: Muitos empresários definem o preço de venda pela média do mercado, mas é necessário ter um estudo de viabilidade, considerando fatores importantes como custos fixos e variáveis, percentual da taxa de impostos e margem de lucro desejada para cada produto ou serviço. Importante avaliar esses itens para comporem o real preço de venda e fazer a comparação com o preço cobrado no mercado.

·         Não acompanhar as cobranças e recebimentos: Muitas empresas não têm noção  do percentual de inadimplência que possuem e não têm ações efetivas para reduzi-la. Como também, não fazem uma gestão de contas a pagar e a receber. 

Mas, como reverter a situação?

Existem diversas formas de tornar sua empresa mais saudável como: renegociar dívidas onerosas de curto prazo, reduzir retirada dos sócios quando a empresa não tem lucratividade suficiente , negociar prazos menores com os clientes oferecendo desconto para pagamento à vista, por exemplo.

Além disso, você pode fazer uma régua de cobrança dos clientes, caso tenha muita inadimplência ou  vender Imobilizado em desuso, que é uma ótima forma de gerar caixa para a empresa e se livrar de imobilizado em excesso.

Desse modo, é muito válido consultar o seu contador consultor para juntos estudarem as principais causas e  formas de reversão do seu problema de forma específica. No mais até a próxima e se cuide!


Compartilhe: